mnagano.com

bits, bytes e bravata!

Como um DVD é organizado?

Quem nunca colocou um filme no leitor de DVD do PC, abriu o Explorer para dar uma olhada no seu conteúdo e não entendeu nada do que se passava lá dentro?

Pode parecer uma maçaroca de letras e números, mas sua interpretação é até bem simples como veremos abaixo.

Para aqueles que desejam saber mais sobre esse padrão, segue abaixo uma breve descrição dos tipos de arquivos usados num DVD de vídeo e a descrição de seu conteúdo — o que pode ser útil para aqueles que precisam de algumas pistas de onde procurar uma informação desejada.

A organização dos dados de um DVD de vídeo é mais ou menos a seguinte:

dvd_tree.jpg

A divisão inicial que existe em qualquer DVD de vídeo, separa o conteúdo de áudio (AUDIO_TS) do de vídeo (VIDEO_TS) que é o alvo de nosso interesse.

Não falarei nada sobre o AUDIO_TS, porque sinceramente, só vi uma mídia dessas na minha vida e não sei se é um padrão muito popular por aqui.

Podemos notar no esquema, que o VIDEO_TS utiliza três tipos de arquivos:

.BUP (BackUP) — Backup dos arquivos .IFO.

.IFO (InFOrmation) — Contém informações importantes para o player, como o índice de capítulos, canais de áudio e de legendas.

.VOB (Video OBjetcts) — Contém o conteúdo de vídeo, as trilhas de áudio e as legendas, sendo que o vídeo é codificado no padrão MPEG-2 no seguinte formato:

NTSC – 720 x 480 pixels a 30 quadros por segundo (qps) — na realidade 29,97 qps.

PAL – 720 x 576 pixels a 25 qps.

video_ts4.jpgOs arquivos VIDEO_TS.* são os primeiros a ser executados pelo player e controlam certas ações, como selecionar o idioma preferido (comum nos DVDs da Disney), aviso de direitos autorais, trailers obrigatórios, etc.

Como vimos acima, o VIDEO_TS.IFO contém a informação de navegação, o VIDEO_TS.BUP é o seu backup e o VIDEO_TS.VOB contém o material a ser apresentado.

Os arquivos tipo “VTS_xx_xx.*” (Video Tile Set) contém realmente o filme e seus extras, e seguem uma hierarquia relativamente simples:

O VTS_01_0.VOB normalmente contém a atração principal, que é controlada pelo VTS_01_0.IFO e o VTS_01_0.BUP.

Mas como o arquivo .VOB não pode ser maior que 1 GB (1.048.576 KB) , o filme pode ser subdividido em quantas partes forem necessárias — desde que caibam no DVD.

No exemplo ao lado, as partes subseqüentes receberam os nomes VTS_01_1.VOB, VTS_01_2.VOB e VTS_01_3.VOB.

Note que nesse caso, todos eles são gerenciados pelo mesmo VTS_01_0.IFO.

O VTS_02_0.VOB/IFO/BUP costumam conter algum material extra, como making of, entrevistas, videoclipes e outros tipos de bônus e seguem as mesmas regras de subdivisão VTS_02_1.VOB, VTS_02_2.VOB e assim por diante.

Seguindo esse raciocínio, os outros extras devem ser chamados VTS_03_0.VOB, VTS_04_0.VOB, etc.; sendo cada um deles acompanhado de seu respectivo .IFO e .VOB.

Assim, o maior arquivo VTS possível é o VTS_99_9.VOB.

Simples não?

(rev.ok)

Anúncios

17 agosto, 2007 - Posted by | Dicas, Software, Tecnologia

1 Comentário »

  1. Objetivo!

    Esclareceu minha principal dúvida.

    Comentário por Carlos | 20 fevereiro, 2008 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: