mnagano.com

bits, bytes e bravata!

Seu Barracuda quebrou? Manda ele pra… Jaguariúna!!!

No início de 2005 eu comprei um HD Seagate Barracuda 7200.7 ST3120022A de 120 GB PATA que foi instalado no meu servidor de mídia (um dual Pentium III de 800 MHz), que trabalhou quase que initerruptamente (24/7) por vários anos, até ser aposentado em fevereiro de 2008 depois de mais de 26,3 mil horas de bons serviços prestados.

Como o disco aparentava estar em boas condições, eu ainda usei-o por algum tempo como um disco externo USB para fazer backups até que num lindo dia ele morreu de morte morrida em março, sem apresentar nenhum sintoma prévio de desgaste, como os famosos cliques do braço de leitura/gravação ou aquele ruído agudo vindo do mancal do eixo do disco (brrr…)

Como eu nem me lembrava onde estava a nota fiscal do produto (se é que ele tinha uma), o disco ia literalmente para o saco (de lixo), quando me lembrei das apresentações da Seagate e da sua tão falada garantia mundial de 5 anos para qualquer produto adquirido legalmente, inclusive no Brasil. De fato, o procedimento ficou até mais simples depois do acordo que a Seagate fez com a Flextronics, já que, no caso de pedido de manutenção ou troca, basta enviá-lo para a unidade desta última em Jaguariúna — interior de SP — que, após a verificação e confirmação do defeito de fábrica, a mesma repara ou substitui a peça, enviando-a de volta por Sedex por conta da Seagate.

(Conheça o procedimento depois do clique)

Para começar, fui visitar o site www.parceiroseagate.com.br como um usuário qualquer e procurei a página de garantia onde, no final dessa página, existe um seção de links (imagem ao lado) onde podemos encontrar duas opções importantes: Consulte a Garantia do seu Disco e Abra seu RMA.

Primeiro fui checar se meu disco estava em garantia: Informei o modelo e número de série do disco e, para minha surpresa, ele estava em garantia até 2010 (uia!).

Com essa motivação, eu iniciei o processo de abertura de um RMA (Return Material Authorization) e uma das coisas mais legais desse serviço é que, apesar dele ter sido feito para atender empresas, ele possui um procedimento específico para pessoas físicas. Para isso é necessário clicar na opção Devolva um disco como usuário convidado.

Feito isso, o primeiro procedimento é repetir a consulta de garantia do seu disco com problemas. Se a garantia estiver de pé, o usuário deve avançar para a próxima página e informar para qual país o mesmo deve ser enviado (Brazil) e preencher um formulário detalhado com seus dados pessoais, endereço de devolução, etc. Concluído o pedido, o sistema envia para sua caixa postal um e-mail detalhando com todas as informações cadastradas, dados do disco, número de protocolo (para identificação e acompanhamento do processo), instruções de embalagem e até um modelo de etiqueta com todos os dados de envio para colar na caixa. O e-mail ainda passa um link direto onde o usuário pode acompanhar todo o processo online.

Um detalhe que não fica claro nesse procedimento é que a pessoa física deve incluir no pacote duas cópias preenchidas e assinadas do Formulário de Garantia Pessoa física (que pode ser baixado diretamente daqui). No meu caso, eu esqueci desse documento e o serviço de RMA da Seagate me contatou via e-mail avisando do ocorrido, acompanhado de uma cópia do documento, que tive que enviar por carta registrada.

A carta foi postada em 27/03 e lá pelo dia 08/04 eu recebi um saco do serviço de encomendas Velog da Varig contendo uma caixinha da Seagate com um disco tinindo de novo, um Barracuda 7200.10 de 160 GB. Isso por sinal faz parte da política de devolução da empresa, ou seja, se não houver um disco em estoque da mesma capacidade para ser devolvido, envia-se um de capacidade imediatamente acima.

Depois de tudo isso, minha impressão do serviço de RMA da Seagate foi bastante positiva, já que constatei que o procedimento em si não é muito trabalhoso mesmo para um usuário final que queira trocar apenas um disco, fora que o pessoal de suporte da Seagate/Flextronics foi bastante prestativo.

Além disso, o procedimento não perde muito tempo com picuinhas do tipo “cadê a nota fiscal desse disco?”, apesar de que ouvi dizer que o sistema de verificação da garantia é capaz de identificar produtos de origem suspeita. E nesse caso, ele aconselha o usuário a procurar seu fornecedor. Vale a pena lembrar que o pessoal de perícia na Flextronics também não nasceu ontem e que eles foram treinados para diferenciar um disco com defeito de um acidentado, disfarçado ou maltratado.

Minha sugestão é que, caso você tenha um disco Seagate pifado por algum motivo (que não tenha sido causado por você) e que tenha sido adquirido legalmente nos últimos cinco anos, por que não tentar abrir um RMA? já que o como o disco está perdido mesmo, pior do que está não fica, né? ;^)

11 abril, 2008 - Posted by | Uncategorized

2 Comentários »

  1. Cara, vlw me ajudou muito!!!
    O meu Seagate de 120G crexou tambem, fiz o procedimento que vc mostrou e recebi um novo!!
    vlw

    Comentário por Jossa | 11 maio, 2008 | Responder

  2. Cara, sei que esse post é antigo, mas será uma mão na roda quando eu precisar, por isso já está nos meus bookmarks. Eu só uso HDs da Seagate, nunca tive problemas, mas sabia que se um dia eu tivesse, teria que pesquisar sobre como abrir um RMA. Pois bem, você já resumiu tudo muito bem! Obrigado!

    Comentário por Cesar | 17 julho, 2008 | Responder


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: