mnagano.com

bits, bytes e bravata!

Testamos os novos Dell Latitude

Na visita deste Zumo à sede da Dell em Round Rock no Texas, noticiamos o breve contato que tivemos com a nova linha de portáteis Latitude série E e a promessa de que seu lançamento seria algo realmente grande e hoje, em um evento mundial, a Dell apresentou sua nova linha de portáteis com um novo visual, plataforma de processamento e software embarcado, numa reviravolta que lembra um pouco a chegada do Novo Honda Civic no Brasil em 2006.

Dizemos isso, porque nós tivemos a oportunidade de passar alguns dias com esses novos equipamentos — alguns deles ainda em estágios bem inicias de desenvolvimento — e publicamos aqui nossas impressões e o primeiros números de desempenho.

Veja nossa análise e várias imagens depois do clique.

Entendendo a série E

A nova linha de portáteis Dell Latitude que sucede a série D será conhecida como Série E já baseada na plataforma Intel Montevina (Centrino 2) e será dividida em três categorias:

A série E6xx (imagem à esquerda) é o chamado modelo mainstream que será direcionado para o mercado corporativo e que reúne todas características mais intessantes em termos de visual, ergonomia, características técnicas e recursos de gerenciamento remoto (vPro) e estará disponível nas versões com telas LCD de 14 polegadas (E6400) e 15 polegadas (E6500). Ela deverá bater de frente com as novas linhas HP Elite e ThinkPad T62.

A série E5xx (imagem à direita) por sua vez, incorpora a maioria dos recursos da série E6xx porém numa versão mais enxuta e de acabamento mais simples — conhecida internamente como linha “Essencial” — que deve atender aos usuários corporativos que procuram um modelo mais em conta. Ele também estará disponível nas versões de 14 (E5400) e 15 (E5500) polegadas. Observe também que essa linha não está necessariamente direcionada para o segmento de pequenos e médios negócios (SMB) já que para esse público, a Dell manterá sua linha Vostro que vai muito bem obrigado.

Finalmente, a série E4xx deve atender ao segmento de ultraportabilidade com modelos com telas de 12 (E4200) e 13,3 (E4300). Ainda não vimos esse modelos mas acredito que este último deve brigar com o ThinkPad X300 da Lenovo, o P300-S da LG ou até mesmo o MacBook Air.

Todos esses modelos farão companhia ao Latitude XT “Tablet” lançado no início desse ano e que recebeu uma dose de renovação com o lançamento de um driver que melhora dramaticamente sua tecnologia de toque na tela permitindo que a mesma seja usada em vários programas para Windows e o melhor, sem que o usuário tenha que gastar com isso.

Também merece destaque o curioso modelo E6400 ATG um curioso portátil que segue a mesma filosofia de veículos “meio-off-road” como Palio Adventure ou o Volksvagen CrossFox, ou seja, pegue um E6400 de linha e instale neles alguns acessórios transados como cantoneiras de borracha e uma cobetura reforçada. Seu desempenho geral é praticamente o mesmo do E6400 mas pode ser particularmente interessante para trabalhos de campo ou mesmo no chão de fábrica, principalmente pela proteção extra que ele oferece para suas portas de entrada e saída.

A Dell também desenvolveu um portátil realmente duro na queda — conhecido como XFR — que lembra muito o ToughBook da Pabasonic. Ele foi construído para atender as especificações de resistência e durabilidade do exército americano e que topamos por acaso exposto de bobeira num mostruário na sede da Dell. Infelizmente, ainda não há previsão de sua chegada ao Brasil (boo).

Principais mudanças

Com exceção da fonte de alimentação (retro-compatível com a linha anterior) praticamente tudo é novo na série E, a começar pelo visual mais sóbrio onde predomina a cor preta com detalhes em prata. O curioso é que pistas desse novo estilo visual já podiam ser vistos em outros produtos já lançados pela empresa como o projetor Dell 1409X.

Ao invés do cansado acabamento em cinza chumbo, a Dell apresenta novos tipos de acabamento na sua linha Latitude: Preto enrugado para a linha ATG, plástico liso para a série E5xxx e metal escovado para a série E6xxx. Nesses dois últimos casos, a diferença só é percebia ao colocarmos os modelos lado a lado. Veja a comparação abaixo (da esquerda para direita os modelos ATG, E5500 e E6500):

Outro detalhe que nos chamou a atenção é a articulação da tela LCD em metal sem pintura que, além de sólido, passa a sensação de rigidez e resistência ao conjunto. O interessante é que essa moda começou anos atrás nos ThinkPads da série T30 e recentemente também foi copiada pela série HP Elite. Também é curioso notar que esse detalhe não está presente na linha E5xxx. E assim com a linha Inspiron, a linha E6xxx também terá opções de cores que, além do preto, a tampa da tela poderá vir em tons de Vermelho e Azul.

Além do novo visual, pudemos notar várias melhorias em especial na sua ergonomia, já que o teclado recebeu um curso maior (as teclas afundam mais) e o perfil dos botões ficaram ligeriamente mais curvos permitindo assim uma digitação bem mais confortável que outros modelos que passam a sensação de estarmos batucando uma caixinha de fósforos. Seu sensor biométrico também está numa posição bastante cômoda (no canto inferior direito), principalmente para os usuários destros. Assim como seu antecessor, a Dell manteve o sistema duplo de dispositivos apontadores: touchpad e trackpoint sendo que qualquer uma delas pode ser desativada por meio de software.

Entretanto, o recurso mais impressionante desse novo teclado é seu sistema de iluminação que, ao invés de utilizar um LED branco para iluminar as teclas de cima para baixo — como o ThinkLight da Lenovo — o teclado é iluminado por baixo, uma solução complexa porém bem mais eficiente e visualmente mais agradável. Sabemos que esse recurso estará presente na série E6xxx e ATG mas não na E5xxx.

A Dell também renova nas suas portas de entradas e saídas onde notamos interfaces bem avançadas como, por exemplo, ao invés de passar pela interface HDMI a empresa chutou o balde e foi direto para o DisplayPort um novo padrão lançado em 2006 que também pode ser ligado num monitor ou TV digital por meio de adaptadores. De qualquer modo, a linha E6xxx mantém a tradicional porta VGA e incorpora uma saída E-SATA, assim como uma porta USB Powered, mais usada para acionar HDs externos e gravadores de DVD com porta USB. Também notamos que a série E6xxx dispõe de quatro slots diferentes para cartões de expansão: ExpressCard e SD no lado esquerdo e PCMCIA e SmartCard no lado direito. Este último, por sinal será mais usado como dispositivo de segurança, onde o cartão inteligente funciona como uma espécie de “chave”, ou seja, é necessário que  o mesmo esteja inserido no portátil para que o mesmo ligue.

Sua baia de periféricos permite que o usuário troque rapidamente o seu conteúdo sem o uso de ferramentas. Como os dispositivos (também chamados de Media Slice) da série Dxxx não combinam visualmente com a série Exxx a empresa aproveitou para adotar uma linha de perféricos mais fina e leve que sua antecessora. Entre as opções disponíveis estão diversas unidades de disco óptico e bateria extra. A unidade de disquete estará disponível apenas na forma de dispositivo USB. Entre os outros recursos vistos estão a WebCam e um sensor de luminosidade que controle automaticamente o brilho da tela, o que além de melhorar o conforto de uso, ainda ajuda a economizar energia da bateria, disponível nas versões de 4, 6 e 9 células e que ainda pode contar com a ajuda de uma bateria (media slice) na baia de periféricos (imagem abaixo).

Outro periférico opcional que veio com alguns portáteis é uma nova docking station bastante rica em portas de entrada e saída. Da esquerda para direita: comunicação, eSATA, PS/2 (x2), Rede Gigabit, USB 2.0 (x2), serial, paralela, SVGA, duas DVI/DisplayPort e alimentação (imagem abaixo).

Segundo a Dell todos os novos Latitude já estão preparados para receber sinais de redes metropolitanas como Celular 3G ou mesmo Wimax, bastando para isso instalar uma interface específica no seu interior assim como uma cartão SIM Card em um slot bem escondido no compartimento da bateria. Acredito que quando em funcionamento, esse curioso símbolo localizado ao lado do touchpad dos notes da série E6xxx possa fazer algo, como acender e piscar:

Sob Testes:

Testar notebooks — principalmente quando ainda estão no estágio de protótipo — é um grande desafio e também uma grande aventura, já que você nunca sabe o que esperar depois do próximo clique, já que algumas vezes os produtos ainda não estão na sua versão final e podem não estar estáveis além de vir com recursos a mais ou até menos que a versão final. E isso quando algum produto mais temperamental tenta espantar o testador com choques elétricos.

Pela primeira vez na história deste Zumo, não recebemos um, e sim quatro dos seis modelos que foram lançados hoje: o E6500, E6400, E6400 ATG e E5500. Como muitos desses equipamentos são usados para diversas atividades internas. Notamos por exemplo que duas baterias que vieram com esse lote de produtos vieram pifadas e duas das fontes vieram trocadas o que poderia interferir no desempenho das máquinas.

Por causa disso, não realizamos testes de bateria nessa oportunidade e não medimos o desempenho do ATG porque, de tão preliminar, ele ainda veio com a plataforma Centrino “Santa Rosa” com processador Meron, enquanto o E5500 já veio com o processador Penryn enquanto que os E6400/E6500 já são Montevina (Centrino 2). Todos os testes foram rodados sobre o Windows Vista Business:

Alguns resultados podem ser vistos na tabela abaixo:

Esses números mostram resultados muito interessantes em termos de desempenho e que mostra a força do processador Penryn o que é mais do que suficiente para rodar o Vista. E mesmo o E5500 não sendo um Centrino 2 seu desempenho não deve ser desprezado, principalmente nas atividades do dia a dia, mas que em parte explica seu posicionamento abaixo da linha E6xxx.

Minha conclusão (baseado nas amostras analisadas)  é que o novo Latitude realmente evoluiu em todos os sentidos, se posicionando numa situação melhor para bater de frente com a concorrência. E com relação as críticas de que o novo Latitude ficou muito parecido com os portáteis de um concorrente chinês, eu cito um comentário que Mike Dell fez durante nossa visita a Round Rock:

Nossa missão é de ouvir e atender os desejos o nossos clientes. E se é esse tipo de produto que eles querem, é isso que eles terão.”  :^)

12 agosto, 2008 - Posted by | Hardware, Notícia, Review | , ,

2 Comentários »

  1. Mário, não consigo abrir o Zumo de jeito nenhum.

    A mensagem que aparece por aqui é “Bad Gateway”.

    Comentário por Marilu | 14 agosto, 2008 | Responder

  2. Oi Nagano

    Ótima análise da máquina mais ainda não chega aos pés do ThinkPad né rsrs.

    Não estou conseguindo abrir o zumo também, está fora do ar?

    Abraços

    Comentário por Flavio | 16 agosto, 2008 | Responder


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: