mnagano.com

bits, bytes e bravata!

Review: HP Photosmart A447

hp_m637_intro.jpg

Pioneira no mercado de fotografia digital, a HP anunciou recentemente que não desenvolveria novas câmeras o que, na minha opinião, não é uma grande perda, já que equipamento fotográfico nunca foi o core business da empresa e sim um facilitador da sua estratégia de digital imaging.

Por causa disso não foi surpresa receber para teste no Zumo a HP Photosmart A447 — um kit formado pela mini-impressora HP Photosmart A440 mais a câmera HP Photosmart M637 de 7,2 MP (7 megapixels efetivos). Ao contrário de outras mini-impressoras da empresa, existe uma relação quase simbiótica entre a impressora e a câmera, ao ponto de alguns recursos da câmera serem aproveitados pela impressora e vice versa.

Continue lendo

11 março, 2008 Posted by | Fotografia, Hardware, HP, impressoras, Review | Deixe um comentário

Review: Compaq Presario C725BR

c700_front.jpg

No início deste mês, a HP Brasil anunciou a nova linha de portáteis Compaq Presario série c700, equipada com processadores Intel de última geração, 512 MB de memória DDR2 667 MHz, gravador de DVD dual layer e Windows Vista Home Basic. A exceção fica por conta do modelo de entrada C710BR, que vem com unidade de CD-RW/DVD combo e Linux pré-instalado.

Segundo a empresa, ao contrário de outras geografias onde ele nunca saiu do mercado, a linha Compaq Presario volta ao país para complementar a linha HP Pavilion como modelos de entrada, mais indicados para os chamados “usuários de primeira compra” — consumidores que nunca tiveram um notebook para uso pessoal e gostariam de ter algo que atenda às suas necessidades por um preço que eles possam pagar (não necessariamente nessa ordem).

Continue lendo

20 dezembro, 2007 Posted by | Hardware, HP, Review | 18 Comentários

HP renova sua linha de PCs para SMB

hp_dx2295_desk.JPGJunto com o anúncio da nova fábrica de computadores em Jundiaí, interior de São Paulo, a HP anunciou a chegada de novos desktops, tanto para o segmento de uso pessoal quanto o de pequenos e médios negócios.Um dos destaques foi a renovação da linha dx2000, que ganhou um visual mais moderno, se afastando ainda mais da aparência de micro montado de seu antecessor.

Com preços sugeridos a partir de R$ 959 é possível levar para casa o modelo de entrada — o HP Business Desktop dx2295 — equipado com processador Intel Celeron D 340, 512 MB de memória SRAM DDR2, 80 GB de disco, unidade de DVD-ROM, sistema operacional FreeDOS e garantia on-site de 12 meses.

O sistema é montado ao redor de uma placa-mãe Foxconn equipada com chipset Intel 945GZ Express, aceleradora gráfica Intel GMA 950, porta de rede Fast Ethernet, seis portas USB 2.0 e suporte para leitor de CD/DVD e discos rígidos SATA.

Um dos grandes atrativos desse novo lançamento é que apesar de os equipamentos sairem de fábrica com o Windows Vista Business pré-instalado, o usuário tem a opção de fazer um downgrade para o Windows XP Pro de maneira simples e direta e, se for o caso, até voltar para o Vista.

Continue lendo

26 setembro, 2007 Posted by | Hardware, HP, Notícia | 1 Comentário

HP renova sua linha de notes para empresas

A HP realizou ontem (21/08) um evento para divulgar suas novidades no segmento de computação móvel para empresas, com soluções tanto para as pequenas e as médias empresas (SMB) quanto para as corporações.

No geral, toda a linha está sendo atualizada para a nova plataforma móvel Centrino Duo/Centrino Pro (codinome Santa Rosa). Fora isso, os portáteis incorporam recursos e serviços cada vez mais parecidos com a família de notebooks ThinkPad, da Lenovo, sua principal concorrente nesse segmento.

Todos os modelos agora vêm com tela widescreen e apresentam sofisticados recursos de segurança, que combinam sensores biométricos, discos criptografados com proteção antichoque, acabamento antidesgaste, proteção contra derramamento acidental de líquidos, sistemas de auditoria e rastreamento via Web e chips de segurança TPM, cujas chaves — segundo a HP — são de conhecimento de apenas duas entidades nesse mundo: o próprio chip e Deus (sendo que nenhum deles vai abrir o bico).

Visualmente falando, o desenho dos Compaq Business Notebooks mudou apenas em pequenos detalhes, como o acabamento anti-risco HP Durafinish que agora está mais claro que a versão do ano passado, e a incorporação de botões de atalho do tipo touch screen semelhantes aos que vimos nos modelos de consumo da empresa.

Alguns também trazem novidades, como o sistema Quicklook, que permite que o usuário consulte sua agenda e lista de contatos sem precisar carregar o SO.

hp_530.jpgEntre as novidades, está o HP 530 – um modelo de entrada para pequenos negócios com tela wide de 15,4″ e 2,7 kg de peso, disco rígido de 120 GB, gravador de DVD e um visual que lembra mais um modelo Pavilion voltado para negócios. Existem opções de processador Intel Core Duo T2300E de 1,66 GHz ou Celeron M 420 de 1,46 GHz com sistema operacional Microsoft Windows Vista Basic ou Vista Business. Os preços começam a partir de R$ 2.399.

hp_710p.jpgOutro modelo que merece destaque é o HP Compaq Business Notebook 2710p, um modelo compacto de 1,68 kg com tela giratória que se transforma num tablet. Ele já vem com tela LCD wide de 12,1″, processador Core 2 Duo U7600 e várias opções de baterias estendidas e adicionais na forma de acessórios.

Entre suas características únicas, estão seu padrão de cor prata, seu iluminador de teclado que lembra muito o ThinkLight, da Lenovo, e um curioso sistema leitor de cartões de visita, que utiliza a webcam de 1,3 MP para capturar a imagem do cartão e que registra a informação escrita por meio de OCR.

O curioso é que para ler o cartão, é necessário prender a borda dele numa fresta localizada na frente do portátil e baixar a tela na direção do teclado até que a webcam consiga enquadrar o documento.

Uma idéia genial, mas que precisa ser mais trabalhada.

Seu preço sugerido é de R$ 8.199.

(rev.0k)

22 agosto, 2007 Posted by | HP, Notícia | Deixe um comentário

HP e AMD lançam novo PC-TV

Como já comentei no passado, a entrada do Windows Vista Home Premium e do Vista Ultimate em português iria dar um grande impulso para o mercado de Media Centers, ou PCs usados como central de entretenimento.

pavilion_6140_geral.jpgDepois da Syntax e da Megaware, chegou a vez da HP complementar sua linha de produtos com o novo PC-TV HP Pavilion a6140, um modelo topo de linha voltado para aplicações multimídia e entretenimento doméstico, que, na teoria, também poderia ser usado como um Media Center.

A beleza dessa solução, é que ela foi projetada sob medida para a aplicação de Media Center da Microsoft, o que garante que seus vários recursos funcionem de acordo com o esperado.

Por exemplo, além das funções simples de reproduzir mídias e de assistir à TV, o Pavilion a6140 também permite que o usuário dê pausas nos programas transmitidos em tempo real, programe e grave programas de TV, que podem ficar armazenados no computador e, opcionalmente, gravados em DVD.

Com o tempo, também será possível uma maior interação com a Web para consultar informações e até consumir conteúdo on-line, como o serviço EONDE.

Sua configuração é bastante respeitável para um PC de varejo:

1. Processador AMD Athlon 64 X2 3600+.
2. 1GB de memória SDRAM DDR2 667 MHz (expansível até 8GB).
3. Disco rígido de 320GB.
4. Gravador de DVD com tecnologia LightScribe.
5. Aceleradora gráfica Nvidia GeForce 6150 on-board.
6. Placa de TV com FM, Modem (montado nos slots PCI).
7. Leitor de cartão de memória Flash.
8. Sistema de som HD, Realtek ALC888S on-board.
9. Caixas de som, modem, teclado, mouse e controle remoto.
10. Windows Vista Home Premium.

O preço sugerido é de R$ 2.499 e não inclui o monitor de 19″ wide mostrado na foto acima. Um bom substituto poderia ser o LCD 931BW da Samsung que, curiosamente, possui o mesmo padrão de cores, incluindo o detalhe em prata na sua base que é o mesmo do novo Pavilion.

Como já vimos nos seus modelos para pequenos negócios (SMB), a HP permite que o usuário abra o gabinete do PC e instale novos componentes sem perder a garantia dos componentes originais.

Isso é particularmente interessante para os entusiastas que podem, por exemplo, instalarem uma segunda unidade de CD/DVD ou uma placa de vídeo mais veloz, transformando o Pavilion a6140 numa plataforma mais adequada para jogos de alto desempenho.

Vale a pena recordar que, para a HP, o conceito de “PC de Entretenimento” está mais ligado a aplicações de áudio e vídeo e não necessariamente aos jogos.

Também acompanha o produto um rico pacote de aplicativos e utilitários, como o Microsoft Works, o Microsoft Office (trial de 60 dias), o HP Photosmart Essential 2.0, o Muvee Autoproducer, entre outros.

Seguindo a moda lançada pela LG, também adotada pela Samsung e, agora, pela HP, o Pavilion a6140 adota o acabamento Black Piano (preto brilhante) no seu painel frontal, com uma curiosa solução de design, onde tanto o botão de liga/desliga quanto o LED de acesso ao disco estão localizados no canto superior esquerdo do gabinete.

Segundo a HP, essa solução foi adotada para se adaptar ao hábito de alguns usuários, que colocam seus gabinetes embaixo de suas mesas de trabalho. Trata-se de uma prática meio desaconselhável, na minha opinião pois além dos problemas de circulação de ar, ao nível do chão, o PC estaria mais sujeito à contaminação de poeira e a batidas em geral.

Isso é especialmente danoso para o acabamento black piano, pois ele é bastante sensível a riscos (fisicamente falando), se comparado aos modelos de acabamento fosco. E, se a idéia é a de fazer um PC esteticamente belo — e o Pavilion a6140 é muito bonito! —, melhor deixá-lo em cima da mesa para impressionar os amigos.

Por ser um produto desenvolvido em parceria com a AMD, o novo Pavilion contará com o apoio de marketing do personagem Shrek da DreamWorks, que lançará a campanha “Agora você será o rei do entretenimento” — uma alusão ao filme Shrek Terceiro, que contou com a parceria tecnológica da AMD e da HP .

5 julho, 2007 Posted by | AMD, HP, Notícia | 1 Comentário

HP e AMD animam Shrek 3

Para quem não sabe — ou pelo menos não se recorda —, a DreamWorks Animation SKG firmou no passado uma parceria tecnológica com a HP. Pelo acordo, a fabricante para fornece o hardware usado na produção das animações de computador produzidas pelo estúdio. O fruto mais recente dessa associação é o filme Shrek Terceiro (Shrek The Third, EUA 2007), que estréia nos cinemas brasileiros nesta sexta-feira, 15 de junho.

shrek_1.jpgPara produzir esse filme de 92 minutos, formado por 37 seqüências, 1.320 tomadas, quatro personagens principais, dezenas de coadjuvantes e milhares de extras, a DreamWorks utilizou servidores ProLiant DL145 e estações de trabalho HP xw9300, todos equipados com processadores AMD Opteron de núcleo duplo.

O pessoal administrativo responsável pela produção também utilizou portáteis HP Compaq Business notebook nx6125 equipados com chips AMD Turion 64 x2 e o software de colaboração HP Halo Collaboration Studio.

Obviamente, a empresa também usou impressoras de grande formato HP Designjet Z3100 Photo.

Além de fornecer soluções e equipamentos, a HP aproveitou a deixa e desenvolveu na Web algumas iniciativas de marketing baseadas nos personagens do filme. Por exemplo:

yetube.jpgPara aqueles que curtem material extra de DVDs, a empresa abriu um canal no site YouTube — com o sugestivo nome YeTube — com vários “vídeos domésticos”, nos quais os personagens do filme mostram como a tecnologia influencia suas vidas.

Nos EUA, a princesa Fiona é também a mais nova garota-propaganda da campanha “The Computer Is Personal Again“.

A HP também mantém algumas páginas de projetos temáticos baseados no personagem aqui, aqui e aqui. Baixe o projeto, imprima, monte e divirta-se.

Sobre o filme

Como era de se esperar, o enredo é típico de um conto de fadas: no seu leito de morte, o Rei Harold indica Shrek e Fiona como herdeiros legítimos do reino de Far Far Away. Para fugir dessa roubada, Shrek decide encontrar o segundo na sucessão, um primo distante de Fiona — o notório Arthur Pendragon (“Artie” para os íntimos) para coroá-lo rei.

O problema é que Prince Charming (o filho da fada madrinha) tem suas próprias idéias sobre essa sucessão, planejando usurpar o trono para si. Obviamente, Shrek e sua turma dão um jeito para o bem triunfar sobre o mal no final da história e todos viverem felizes para sempre.

Bom, eu avisei que a história era meio manjada.

Mas, como os primeiros filmes dessa série, a força de Shrek Terceiro não está no seu enredo, e sim na maneira criativa de contar essa história. O filme concentra o maior número de diálogos sarcásticos, tiradinhas engraçadas, referências ocultas e brincadeiras visuais por metro de filme (algo que já vimos em Shrek 2), permitindo assim vários níveis de interpretação e oferecendo diversão garantida, tanto para adultos quanto para crianças.

Destaques para o hilário “clube da luluzinha” — formado pela Princesa Fiona, Rainha Lillian, Branca de Neve, Cinderella, Bela Adormecida e Rapunzel —, o divertido interrogatório do Prince Charming com Pinóquio (que faz o possível para enrolar o vilão com falsas verdades) e o Gingerbread Man que, literalmente, se borrou todo (em cores e ao vivo) ao encarar a morte de frente, quando foi encurralado pela guarda do castelo.

Nunca uma piadinha escatológica foi tão bem mostrada sem ofender ninguém. :^)

Aqueles que tiverem a opção de assistir ao filme na versão original, em inglês, com legendas (recomendo!), poderão curtir a participação de Eric Idle — que empresta sua voz para o mago Merlin —, que, junto com John Cleese (Rei Harold), fez parte do antológico grupo Monty Python.

No geral, minha impressão ao ver o filme hoje (13/06) é a de que Shrek Terceiro passa a sensação de missão cumprida.

Num período de três filmes, nosso ogro favorito deixa de ser apenas um tipinho ranzinza e anti-social para aprender aos poucos o valor das amizades, encontrar uma companheira, entrosar com os pais da noiva e acabar feliz, realizado e “muito cansado” com sua nova família.

Com isso, quero dizer que, sob um certo ponto de vista, o ciclo da história foi fechado e não vejo por que a DreamWorks produziria mais um filme com Shrek, a não ser por muito, muuuito dinheiro.

Quem sabe eles poderiam fazer o mesmo que Steven Spielberg fez com Indiana Jones e criar algo como “O Jovem Shrek“. ;^)

Nah, esquece.

12 junho, 2007 Posted by | AMD, HP, Notícia, Opinião | 1 Comentário