mnagano.com

bits, bytes e bravata!

Monitore terremotos no MacBook

Como ninguém pensou nisso antes?

software-iseismograph.jpgPesquisadores em parceria com o NEESit (Network for Earthquake Engineering Simulation Cyberinfrastructure Center) criaram um aplicativo de código aberto batizado de iSeismograph (algo como iSismógrafo em português), que utiliza o sensor de movimento presente em todos os MacBooks com chips Intel e da webcam iSight para monitorar abalos sísmicos, coletar dados e transmití-los pela internet.

Criado originalmente para proteger o disco rígido contra danos causados por movimentos bruscos, o sensor de movimento (também chamado de acelerômetro) usado pela Apple é bastante sensível aos três eixos de movimento (X,Y,Z), o que torna o MacBook um sensor de abalos por natureza. A webcam é usada para registrar os abalos em vídeo, o que pode até gerar uma renda extra em programas jornalísticos ou de videocassetadas.

Outra vantagem sobre os sismógrafos tradicionais é que os MacBooks são relativamente leves e compactos, podem funcionar com bateria e se comunicar por conexões sem fio, além de serem facilmente adquiridos no mercado por um preço razoável em qualquer armazém de roça (pelo menos nos EUA).

Fora isso — entre uma tremedeira e outra — o MacBook pode ser usado para coisas mais mundanas, como trocar mensagens, escrever relatórios, brincar e até navegar na web.

O iSeismograph pode ser baixado gratuitamente no site do NEESit e os dados coletados podem ser repassados e compartilhados na própria agência. Basta abrir uma conta de usuário aqui.

Trívia:

Apesar dos ThinkPads também virem equipados com acelerômetros, eles não funcionariam com esse sistema porque — até onde eu saiba — seu sensor de movimento só funciona em dois eixos. O motivo alegado é que desse modo, a sensação de movimento é mais precisa mas não a da sua direção.

Anúncios

27 março, 2008 Posted by | Apple, Downloads, Fun Stuff, Novas idéias, Software | Deixe um comentário

MSI desenvolve cooler movido a calor

msi_sterling.jpg Numa visita a empresa MSI em Taiwan, o pessoal o site Tweaktown teve contato com um curioso protótipo de um cooler resfriado pelo próprio calor gerado pelo chip, ou seja, ele não usa energia elétrica!

Esse projeto desenvolvido em parceria com a Polo-Tech faz parte de um programa de desenvolvimento de produtos ecologicamente corretos da MSI e baseia-se no princípio de funcionamento do motor Stirling (criado em 1920), que trabalha mais ou menos como uma máquina a vapor, porém usando um circuito fechado de ar quente/frio ao invés de vapor, o que simplifica em muito o seu desenho além de ser mais seguro.

A engenhoca parece ser baseada no motor tipo Beta e, aparentemente não tem o desempenho necessário para resfriar um processador, mas pode ser usado em chipsets além de ser uma delícia para os olhos dos fãs de case mod.

3 março, 2008 Posted by | Fun Stuff, Gadgets, Notícia, Novas idéias | 1 Comentário

Depois do multicore, núcleos assimétricos?

montalvo_logo.jpgA CNet publicou ontem uma curiosa história sobre uma nova startup chamada Montalvo Systems que se define como uma empresa de semicondutores do tipo fabless (sem fábrica, como a VIA e a NVidia) localizada em Santa Clara, a mesma cidade onde fica a sede da Intel.

Assim como outras firmas no passado que já tentaram dar uma mordida no mercado de chips x86, fala-se que a proposta da nova empresa é de entrar de sola nesse mercado com uma idéia, no mínimo, interessante: ao invés de montar chips com núcleos “simétricos”, ou seja, processadores idênticos na mesma pastilha de silício, a empresa pretende combinar diferentes núcleos de maior ou menor desempenho no mesmo circuito, resultando assim num chip que pode direcionar as cargas de trabalho para os núcleos mais ou menos velozes de acordo com a demanda, podendo economizar muita energia nesse processo.

Essa abordagem “assimétrica” já foi usada com sucesso pela IBM/Sony/Toshiba no processador Cell BE que combina um chip Power PC tradicional de 64 bits (também chamado de PPE – Power Processor Element) com oito novos núcleos independentes batizados de SPE (Synergistic Processor Element) que podem ser programados de maneira independente para realizar tarefas especializadas como processar gráficos em 3D ou vídeos.

Por enquanto, a empresa se mantém silenciosa sobre seus planos, mas ela já conta com o apoio de várias empresas de capital de risco e de vários figurões do Vale do Silício — vindos de empresas como NexGen, Transmeta e até da Intel — que já fazem parte da sua diretoria.

Essa história me lembra um pouco a epopéia da Transmeta, uma empresa que começou do mesmo jeito — meio na moita — e quando resolveu fazer barulho, cantou de galo dizendo que iria produzir um revolucionário chip x86 com ótimo desempenho, baixo consumo de energia e muito mais barato que a concorrência — o Crusoe. Na época, a firma também contava com alguns figurões na sua diretoria, entre eles Linus Torvalds — o pai do Linux.

Até onde me lembro, o pulo do gato da microarquitetura Crusoe estava na capacidade de realizar boa parte das instruções de máquina por software, permitindo assim que o chip em si fosse mais simples e mais barato de ser produzido, com a vantagem adicional de poder implementar novos recursos apenas modificando seu software básico.

No final das contas, o pessoal de Santa Clara vai bem obrigado dominando o mercado de chips x86 e a Transmeta continua meio na moita, com o mordedor meio dolorido.

Ah sim, Torvalds saiu da firma em 2003 e o atual CEO da Montalvo é Matt Perry que, por sinal. também trabalhou na Transmeta.

Arrã… então tá bom né? ;^)

15 fevereiro, 2008 Posted by | Hardware, Notícia, Novas idéias, Opinião, Tecnologia | Deixe um comentário

Lost in Translation

lost_in_translation.jpg

Quando escrevia sobre o post do Japan Media Arts Festival, me chamou a atenção o trabalho “The moon princess being smelled by
~ Japanese old tales remix ~
” onde os autores partiram de uma abordagem no mínimo curiosa: pegar uma história tradicional e traduzí-la do original em japonês para o inglês, pegar o resultado e retraduzí-lo novamente para o original. O resultado foi um conto meio parecido, mas não o mesmo.

Com essa idéia maluca na cabeça, eu procurei alguma história curta na Web que pudesse passar pelo mesmo processo. Escolhi a fábula A Raposa e as Uvas de Esopo que achei neste site e passei o mesmo no Babelfish translator do portal Altavista:

Continue lendo

8 fevereiro, 2008 Posted by | Fun Stuff, Genshiken, Internet, Novas idéias | Deixe um comentário

Microsoft ensina como explicar ‘aquilo’ para seus filhos

ms_serverbook_1a.jpg
Pergunta: quando o papai e a mamãe se amam muito, o que o papai dá para mamãe?

Continue lendo

14 janeiro, 2008 Posted by | Fun Stuff, Genshiken, Microsoft, Novas idéias, Windows | Deixe um comentário

Idéias verdes: DVIEW micro PC

dview_500.jpg

Na onda dos computadores “verdes”, a empresa Hokuto System em parceria com o D.D.L. (Digital Design Lab) no Japão, desenvolveram o DVIEW, um micro pc com tela LCD em cores para automatização de equipamentos e aplicações comerciais.

A grande sacada desse produto é que seu componente mais caro — sua tela LCD de 2,2″ — vem de telefones celulares usados e descartados pelos seus donos (algo como 6 milhões de unidades por ano).

Continue lendo

4 dezembro, 2007 Posted by | Gadgets, Hardware, Notícia, Novas idéias | Deixe um comentário

As novas faces do papel digital

epaper_1.JPGPós-IDF 2007 San Francisco: Assim como as células de combustível, outra tecnologia que deu as caras no Showcase do IDF 2007 foi o papel digital da E-Ink, empresa que já coloca no mercado produtos muito interessantes e que podem, no futuro, competir em certas aplicações com o OLED e até mesmo o bom e velho LCD.Para quem não sabe, o visor do celular Motofone F3 da Motorola não é um LCD, e sim papel digital da E-Ink.

epaper_funcionamento.JPG

A tecnologia de papel digital já está sendo pesquisada e desenvolvida à vários anos por várias empresas que utilizam diferentes abordagens para gerar imagens. No caso da E-Ink, seu princípio de funcionamento baseia-se em micro-esferas pretas ou brancas aprisionadas dentro de um meio líquido, que reagem de maneira diferente de acordo com sua cor e a carga elétrica aplicada na superfície da tela.

Continue lendo

29 setembro, 2007 Posted by | eventos, Hardware, Novas idéias, Tecnologia | Deixe um comentário

Gadget do dia: Medis 24-7 Power Pack

fuel_cell_1.JPGPós-IDF 2007 San Francisco: Todo ano ao perambular pelo showcase do IDF, sempre encontramos alguma firma e/ou inventor e/ou empreendedor trabalhando em alguma célula de combustível para uso em TI.

Anos atrás, tais empreendimentos mais pareciam trabalhos de escola para feira de ciências, mas parece que, neste ano, vimos alguma coisa mais com cara de produto de loja, inclusive com uma embalagem chamativa e etiqueta de preço — US$ 25,00.

Trata-se do Medis 24-7 Power Pack, uma engenhoca mais ou menos do tamanho de um bloco transformador de tomada (9,7 x 6,8 x 3,7 cm — LxAxP), que fornece uma corrente de aproximadamente 3,6~4,5 Volts/220 mA (máx.) ininterruptamente por aproximadamente 24 horas.

Continue lendo

27 setembro, 2007 Posted by | Gadgets, Notícia, Novas idéias, Tecnologia | Deixe um comentário

Parece, mas não é

IDF 2007 San Francisco: Durante o keynote de Pat Gelsinger foram divulgados mais detalhes sobre o futuro processador Nehalen.

Ao contrário do Penryn – que seria mais uma versão de 45 nm do atual Core 2 Duo de 65 nm – o Nehalen é um projeto bastante modular, equipado com um gerenciador interno de memória e um novo barramento de dados batizado de QuickPath, antes conhecido como CSI.

Os Penryn poderão estar disponíveis nas versões de 2, 4 e 8 núcleos com até quatro conexões Quickconnect, de modo que a Intel prevê configurações de servidores com até oito soquetes.

Continue lendo

19 setembro, 2007 Posted by | AMD, Intel, Notícia, Novas idéias, Tecnologia | 2 Comentários

Conheça Junior, um carro sem motorista

junior_1.jpgIDF 2007 São Francisco: Caminhando para a sala de imprensa, antes do keynote de Otellini, passei ao lado de um curioso veículo que parecia ser o sonho de consumo de qualquer motorista geek pela quantidade e gadgets eletrônicos instalados no mesmo.Trata-se do Junior, um Passat Diesel adaptado por estudantes da Universidade de Stanford e co-patrocinado pela Intel. O carro participa do DARPA Urban Challenge, uma competição na qual veículos autônomos (sem motorista) devem trafegar pelas ruas de uma cidade, obedecendo todas as leis de trânsito, desde parar na faixa no sinal vermelho, esperar pela sua vez num cruzamento cheio de carros e até reagir a imprevistos, como pedestres atravessando fora da faixa ou barbeiragem de motoristas de fim de semana.

Para isso, o Junior vem equipado com sistemas GPS, vários sensores de presença e distância, além de quatro computadores, sendo que dois deles são servidores Xeon Quadcore.

Em vez de criar algo com cara de jipe espacial, a equipe de Stanford optou por utilizar um carro de linha, realizando o mínimo de modificações, como por exemplo, refrigerar os computadores com o próprio ar-condicionado do veículo (ligando um tubo diretamente na saída do painel), além de alimentar toda sua parafernália eletrônica com o alternador do motor — ou seja, como todo veículo normal, ele anda só com sua reserva de combustível.

junior_back.jpgPara chegar a esse resultado, os participantes utilizaram processadores de baixo consumo de energia com ótimo desempenho por watt.

Conversando com Manny Vara, porta voz do Intel Labs, ele me disse que a sensação de andar no Junior ainda é meio “robotizada”. As curvas ainda não são suaves, sendo que o passageiro pode sentir as pequenas correções de direção do volante durante a manobra.

Entretanto, ele ficou impressionado com a precisão do veículo e com a capacidade que ele tem de seguir as regras de trânsito.

Jerry Bautista, que passava ao lado e parou para conversar, comentou que eles realizaram um teste com o Junior, onde este fazia um percurso na forma de “8” sobre um piso de cascalho, e notaram que, após várias voltas, os sulcos do pneu não eram maiores que o diâmetro das rodas! Manny também demonstrou o software sensor de presença funcionando em tempo real, de modo que pudemos ver como o Junior enxerga.

Infelizmente, o Junior ficou exposto apenas um dia, e não será apresentado pessoalmente em nenhum keynote.

Manny explicou que a equipe de Stanford precisava do veículo de volta para continuar os ajustes finos no seu software.

A final dessa competição vai ser no próximo dia 7 de novembro e o primeiro colocado leva US$ 1 milhão para casa e o segundo, US$ 500 mil.

(rev.ok)

19 setembro, 2007 Posted by | Editorial, Intel, Novas idéias, Tecnologia | Deixe um comentário